ESTRUTURA

O projeto do Metrô-DF é composto por 29 estações, das quais 24 estão em funcionamento. Com uma frota de 32 trens, transporta em média 150 mil passageiros por dia.



O

projeto do Metrô-DF é composto por 29 estações, das quais 24 estão em funcionamento. Com uma frota de 32 trens, transporta em média 160 mil passageiros por dia. Toda a via tem extensão de 42,38 km e liga a região administrativa de Brasília às de Ceilândia e Samambaia, passando pela Asa Sul, Setor Policial Sul, Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA), Guará, Park Way, Águas Claras e Taguatinga.

A via do Metrô-DF possui o formato de Y. Dessa forma, 19,19 km constituem o eixo principal e interligam a Estação Central (localizada na rodoviária do Plano Piloto) à Estação Águas Claras. Outros 14,31 km compreendem o ramal que parte da estação Águas Claras até Ceilândia Norte. O outro ramal, com 8,8 km, abrange o trecho que liga a estação Águas Claras a Samambaia.

No trecho compreendido entre as estações Central e Asa Sul, a via é subterrânea. As estações operacionais da região (Galeria, 102 Sul, 108 Sul, 112 Sul e 114 Sul) possuem passagens subterrâneas que dão acesso às superquadras 100 e 200, e aos pontos de ônibus dos Eixos W e L Sul, nos dois sentidos.

A Estação Asa Sul, localizada no Setor Policial Sul, também é chamada de Terminal Asa Sul, em razão da integração com o sistema de transporte rodoviário.

Na sequência, a via atravessa a EPIA, onde fica a Estação Shopping, que dá acesso ao Terminal Rodoviário Interestadual de Brasília. Segue para o Guará e Park Way até chegar a Águas Claras. Nesse percurso, há trechos de superfície e trincheira (corredor semi-subterrâneo, sem cobertura).

Na Estação Águas Claras a via principal se divide em dois ramais. O ramal com destino a Samambaia passa por Taguatinga Sul, cruzando o Pistão Sul, onde está a Estação Taguatinga Sul, em direção a Samambaia. Todo esse trecho é percorrido pela superfície e possui quatro estações.

O ramal com destino a Ceilândia atende também a população de Taguatinga Centro e Norte. Esse percurso contém oito estações e é dividido entre superfície, trincheira e túnel. Ao lado da estação Centro Metropolitano está localizado o Terminal Rodoviário Interestadual de Taguatinga.

Raio-x

Frota: 32 trens

Extensão da linha: 42,38 km

Média de usuários ao dia: até 160 mil

Funcionamento: de segunda a sábado, das 6h às 23h30 / domingos e feriados, das 7h às 19h

Estações previstas: 29

Estações operacionais: 24

Sistema de Alimentação 

A energia elétrica utilizada pelo Metrô-DF é fornecida pela Companhia Energética de Brasília (CEB), diretamente de Furnas. Chega a 13.800 V em corrente alternada e é transformada nas subestações retificadoras de energia localizadas ao longo das linhas do Metrô-DF.

Essas subestações retificadoras distribuem os 13.800 V para as estações de passageiros, que os transforma para 380/220 V em corrente alternada, de modo a alimentar os equipamentos, e faz também o rebaixamento/retificação para a alimentação de tração dos trens em 750 V em corrente contínua. Para movimentar os trens, a corrente elétrica é enviada ao terceiro trilho e é coletada por “sapatas” localizadas nas laterais das composições.

Manutenção 

As manutenções preventivas e corretivas dos trens do Metrô-DF são realizadas no Pátio Águas Claras, no Complexo de Manutenção, localizado ao lado do Complexo Administrativo e Operacional (CAO).

Há também a mobilização de equipes reservas de técnicos em regime de plantão para o atendimento exclusivo em caso de ocorrência de algum problema nos trens em operação comercial e em qualquer outro sistema.

Pátio Águas Claras

O Pátio Águas Claras conta com 12,4 km de vias operacionais, incluindo a via de testes. Possui três acessos à via principal: Ceilândia, Samambaia e Águas Claras. A localização estratégica, na bifurcação das linhas Verde e Laranja, permitem uma distribuição eficiente dos trens, antes do início da operação comercial assim como seu recolhimento quando necessário.

Pátio Asa Sul

Localizado próximo à Estação Shopping, o Pátio Asa Sul serve de base para o recolhimento de trens para pequenos serviços, apoio às equipes de manutenção, linhas de estacionamento de trens, instalações para pessoal de operação e limpeza, e torre de controle de tráfego.

Controle Operacional 

O Centro de Controle Operacional (CCO) é considerado o cérebro do Metrô-DF. Nele é feita toda a supervisão e o controle da operação, que inclui subsistemas de tráfego, energia e telecomunicações. Esse controle é totalmente informatizado.

A central recebe, em tempo real, informações sobre a velocidade nas vias, o tempo de permanência nas estações, o fluxo de passageiros e o fornecimento de energia nas vias.

Profissionais qualificados acompanham todas as atividades dos trens. Tudo isso é feito com ajuda de sensores instalados ao longo da via e de um sistema de comunicação em fibra ótica. Essa estrutura permite a recepção e a transmissão de informações entre o CCO e as demais unidades do sistema metroviário, como trens, estações e subestações.

Segurança 

O metrô é um dos meios de transporte público mais seguros que existem. Toda a circulação de trens nas linhas e pátios, a sinalização, os sistemas auxiliares e a distribuição da energia funcionam sob o comando do Centro de Controle Operacional (CCO).

Existe comunicação direta entre o CCO e os trens, o CCO e as estações, o CCO e a torre de controle dos pátios, e entre as torres de controle dos pátios e os trens.

Em situações excepcionais de operação, o CCO, em contato com as equipes de técnicos e agentes metroviários nas estações e pátios, utiliza essa estrutura para comandar as medidas necessárias, como determinar rotas alternativas para os trens ou desenergizar as vias.

Tudo isso é possível graças ao sistema de Sinalização e Controle do Tráfego e o Sistema de Proteção Automática dos Trens, que permitem a regularidade do intervalo entre as viagens, controle de velocidade e manutenção da distância entre os trens.

Os sistemas elétricos de comunicação e sinalização trabalham de forma redundante, ou seja, caso ocorra uma falha no principal, o segundo é imediatamente acionado. Todo o sistema recebe manutenção preventiva e corretiva diariamente.

Sistema de Billhetagem 

O acesso às estações do Metrô-DF é controlado por bloqueios eletrônicos de entrada e saída. Para viajar no metrô, o usuário pode adquirir bilhetes unitários, que contém uma única viagem, ou cartões magnéticos dos tipos Flex ou Multiplus, nos quais são inseridos créditos de viagem. Quando acabam os créditos, não é preciso comprar um novo cartão, basta recarregá-lo.

O Metrô perto de você

Nossos Serviços

Guia do Usuário

Dicas de utilização dos espaços do Metrô. Cuidados no embarque, vagões para mulheres e pessoas com deficiência.

Leia mais

Ouvidoria

O Metrô-DF integra a rede de ouvidorias especializadas do GDF e está à sua disposição em prol de melhorias nos serviços.

Leia mais

Guia do Ciclista

O transporte de bicicletas deve ser realizado no último carro do trem, não podendo exceder cinco veículos por viagem. Veja o guia.

Leia mais

Achados e Perdidos

Objetos achados em quaisquer das estações ou trens do Metrô-DF são guardados no Posto Central.

Leia mais

Rede Wifi

O Metrô do Distrito Federal vai disponibilizar, em abril, internet sem fio gratuita para os usuários em quatro estações.

Learn more

Gratuidade

Crianças com até 6 anos, idosos com idade igual ou superior a 65 anos, bombeiros.Veja gratuidade no Metrô

Learn more

Cartões

Confira todas as opções de cartões para quem utiliza o Metrô diariamente. Vejas as vantagens de ter um Cartão Flax.

Leia mais

Atendimento Especial

Pessoas com deficiência e idosos a partir de 65 anos de idade têm acesso livre ao transporte público.

Leia mais