Quando a solidariedade causa a melhor das transformações

Quando a solidariedade causa a melhor das transformações
08 nov 2016

Texto: Marcelo Abreu/Ascom/Metrô-DF
Foto: Alexandre Castro/Ascom/Metrô-DF

No meio da cerimônia, ele chegou. E, nas mãos, várias mechas de cabelo dentro de sacos plásticos. A ação daquele rapaz, silenciosa e anonimamente, deu sentido a toda campanha do Corte e Compartilhe. Cabeleireiro, Juliano Sampaio, de 33 anos, recolheu por dois meses mechas de cabelo no salão em que trabalha, em Copacabana, no Rio de Janeiro, e trouxe para Brasília.

Enquanto acompanha a mãe no Hospital de Base, que faz um doloroso tratamento contra um câncer, ele soube que havia um lugar ali dentro que recolhe mechas de cabelos, que são transformadas em perucas para pacientes que lutam como a mãe dele está lutando. Juliano não pensou duas vezes. Foi lá e fez o melhor gesto de sua vida. “Minha mãe está muito mal, talvez nos últimos dias, mas eu precisava fazer isso. Precisava ajudar de alguma forma”, diz o rapaz, com os olhos marejados.

O Corte e Compartilhe ganhou mais vida em forma de solidariedade. E, na tarde desta segunda (7), os números se revelaram. A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) entregou 649 mechas de cabelos para a Rede Feminina de Combate ao Câncer.

As mechas foram arrecadadas durante a 2ª edição da campanha solidária Corte e Compartilhe, realizada nas Estações Central e Praça do Relógio do Metrô-DF, durante o Outubro Rosa, por vários dias. O usuário não poupou esforços para ajudar. Embarcou nessa viagem de solidariedade que nunca tem fim. Mechas se juntaram e fizeram a melhor conta de soma que o ser humano é capaz de fazer.

Enxugar lágrimas

Agora, entregues à Rede Feminina de Combate ao Câncer, as voluntárias produzirão perucas, que serão doadas às mulheres que enfrentam os terríveis tratamentos para combater o câncer.
Na solenidade de entrega, na sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer, uma salinha pequena no Hospital de Base, mas gigante de histórias de solidariedade, a colaboradora do governo do Distrito Federal, Márcia Rollemberg, disse que o resultado da campanha, que arrecadou quase 700 mechas, era a cidade respondendo ao chamado de uma causa nobre. O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, agradeceu ao usuário e ao cidadão brasiliense: “Quem está de parabéns é o usuário, que decidiu participar dessa campanha”.

Vera Lúcia Silva, de 50 anos, coordenadora da rede Feminina, que recebeu as 649 mechas da solidariedade, disse: “Essas perucas transformam as mulheres. É fantástico. Não tem explicação”. E continuou: “Nosso lema aqui é doar amigos, enxugar lágrimas e provocar sorrisos”. A emoção

E essa ação só foi possível porque muita gente embarcou nesse mesmo trem. A equipe do Hélio Cabeleireiros e os alunos do Centro de Formação Profissional Hélio e da escola de estética Coobel de Taguatinga foram os responsáveis pelos cortes. Mangas arregaçadas, tesouras afiadas e o mesmo desejo: ajudar. Deu certo.

Homens e mulheres, adultos e crianças fizeram doações. Durante a campanha, um painel foi instalado no local do evento onde os doadores puderam deixar uma mensagem de otimismo às pacientes. Além das mechas de cabelo, foram doadas perucas, bonés e lenços.

No dia 5 de dezembro, serão doadas as 60 primeiras perucas. E, em março, mais 80. Aí, quando as mulheres colocarem suas perucas e se olharem no espelho – depois do primeiro sorriso –, não se terá mais dúvida: a campanha fez todo o sentido. Ano que vem, com certeza, haverá outro Outubro Rosa. E mais histórias que precisam ser contadas. Isso, sim, dá sentido à vida.

Mais informações:

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF)
Assessoria de Comunicação:
Telefones: (61) 3353-7077 // 9285-7346

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>