Saúde nos Trilhos tem início em Ceilândia

Saúde nos Trilhos tem início em Ceilândia
07 set 2016

Alunas de enfermagem do Curso Técnico em Saúde e Informática (Cetesi) realizaram exames para detecção do diabetes e verificaram a pressão arterial na Estação Terminal Ceilândia no projeto Saúde nos Trilhos,  iniciativa conjunta dos programas Metrô Solidário e Qualidade de Vida da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF)

Texto: Marcelo Abreu/Ascom/Metrô-DF
Foto: Paulo Barros/Ascom/Metrô-DF

(Brasília, 07/07/2016) - Em parceria com faculdades e instituições do DF, começou, na noite desta terça-feira (6), o projeto Saúde nos Trilhos, iniciativa conjunta dos programas Metrô Solidário e Qualidade de Vida da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF). A ideia é promover saúde nas estações do Metrô, orientando os empregados e usuários sobre a importância do bem-estar físico e mental.

Na Estação Terminal de Ceilândia, com a participação do Curso Técnico em Saúde e Informática (Cetesi), alunas de enfermagem realizaram exames para detecção do diabetes e verificaram a pressão arterial. Houve também aconselhamento e explicações sobre a dengue e a zika.

Hora do estresse, gente voltando pra casa, estação lotada, usuários pararam para checar a saúde. As técnicas em enfermagem fizeram fichas, perguntaram coisas e hábitos básicos de cada um. Em seguida, eles eram encaminhados aos exames.

A técnica Sheila Alves, 29, Sirlene Fernandes, 43, e Ketley Diance, 18, estavam animadas. Havia chegado o momento de colocar em prática o que aprenderam no curso. Sob a orientação da professora e enfermeira Patrícia Castro, de 39 anos e 25 de profissão, as alunas realizaram os procedimentos. “O objetivo aqui é a prevenir a saúde do usuário. Hipertensão e diabetes são doenças silenciosas e assintomáticas”, diz a professora.

Gervasina Rodrigues Meireles, goiana de 56 anos, 35 como doméstica e moradora de Ceilândia Norte, voltava do trabalho na Asa Sul, mas não pensou duas vezes. Mesmo cansada, parou e fez os dois testes. Hipertensa, ela toma remédio todo dia e mudou completamente os hábitos alimentares. “Passei a fazer caminhada e estou hoje bem melhor. Tive que cortar gordura e muita besteira, mas não me arrependo”.

Comemoração
E os exames comprovaram isso. A doméstica saiu dali com a glicemia em 94 mg/dl e a pressão arterial em 10 X 6. Ela comemorou. “Saúde é a coisa mais importante que a gente em na vida”, sábia, a Gervasina. Outro que também fez questão de conferir a glicemia foi o auxiliar de serviços gerais José Avelino dos Santos, de 56 anos. Diabético, ele é acompanhado num posto de saúde da Asa Sul. “Eu me preocupo muito. Vida a gente só tem uma”.

E assim, num vaivém de embarques e desembarques, usuários da Estação Terminal Ceilândia aproveitaram a oportunidade. A perspectiva, até as 21h, era de realizar cerca de 300 exames. As ações do programa Saúde nos Trilhos se estenderão até dezembro e vão percorrer as principais estações do Metrô-DF.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>